quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

A INTRODUÇÃO DO CINEMA - PARTE 1

RONALDO MARCOS BASTOS - Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil

Médico,formado pela antiga Faculdade Católica de Medicina de Porto Alegre. Pesquisador fotográfico há 50 anos. Atualmente participa como colunista do Jornal da Pampa na TV Pampa onde, nas sextas-feiras às 18:15min, apresenta o quadro "Uma História Fotográfica".
A história dos primeiros filmes produzidos e rodados no Rio Grande do Sul é contada pelo médico e pesquisador Ronaldo Marcos Bastos e que apresentamos aqui através do seu próprio site.

Francisco de Paola S. Xavier foi o responsável pela primeira exibição de cinema realizada em Porto Alegre no dia 05 de novembro de 1896. Este mesmo empresário tinha estado no Rio de Janeiro 3 meses antes onde fez apresentações com seu aparelho. Após alguns dias na cidade segue para Pelotas-RS onde lá, em 26 de novembro, faz apresentações com seu cinematógrafo. Um dos 3 filmes que fazia parte desta primeira apresentação é " A Dança Serpentina" de Thomas Edison. 
http://www.youtube.com/feature=player_embedded


quinta-feira, 27 de maio de 2010

Anos 50 e 60: Cinema Nacional X Hollywood, a "Meca do Cinema"

video
Cinematografe Lumière - Museu do Cinema

video 
Museu do Cinema - Edison´s Kinetoscope

Neste espaço de resgate do cinema e, obviamente, dos filmes que mereceram maior atenção do público e obtiveram as melhores bilheterias nos cinemas de Canoas, queremos destacar os títulos mais importantes e mais marcantes no período que marcou os anos dourados e diamantinos. O cinema, nessas duas décadas, especialmente, e aí pode-se incluir também os anos setentinos, eram a grande pedida para os programas nos domingos à tarde, nesse com filmes voltado à garotada, e à noite, quando muitos aproveitavam para iniciar um namoro ou firmar um relacionamento que estava se concretizando, além, obviamente, dos casais que iam para curtir seus momentos de descontração, entretenimento agregando uma boa dose de romantismo.

Além dos famosos e atrativos filme do cinema brasileiro: chanchadas e chanchadas de paródias (ex: O Homem do Sputnik, com direção de Carlos Manga) e até mesmo os pornô-chanchadas (esses nunca foram exibidos nos cinemas da cidade, desde 1914, com o cinema do Vicente Porcello até a melhor e mais popular fase do cinema em Canoas, quando da existência dos Cine Rex, Cine Teatro São Luís, Cine Vitória, Cine Rio Branco e Cine Niterói), haviam aindubitável influência e até predominância dos filmes norte-americanos, chamados "os estrangeiros", esses de melhor qualidade técnica, enredos diferentes e mais românticos, como o inesquecível e insuperável "... E o Ventou Levou" (Gone With The Wind), do gênero romântico dramático, de 1939, com Vivien Leigh, Clark Gable, Olivia de Havilland, ganhaor de oito estatuetas "Oscar"; passando pela trilogia romântica que conta a história da imperatriz Elisabeth da Áustria, mais conhecida pelo pseudônimo "Sissi", e que teve a atriz alemã Romy Schneider no papel principal: "Sissi" (1955), "Sissi, a Imperatriz" (1956) e "Sissi e Seu Destino" (1957).
video
The Lumière Brothers
video
The King od The Kings (1927) - Film Trailer
*** Contatos via e-mail: la-stampa@ig.com.br

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Exclusivo: A história dos cinemas e cine-teatros de Canoas

Aqui vamos contar um pouco da história dos cinemas que existiram em Canoas, desde meados da segunda década do Século 20, seus personagens e diretores e os principais momentos que marcaram a cinematografia citadina. Mas é preciso, e é até interessante, se saber um pouco sobre a história e a criação dos aparelhos projetores que ainda hoje significam muito no contexto da comunicação de massa como foi, e ainda é, o cinema. 


Além disso, vamos mostrar, a título de resgate histórico, as personagens que realmente tiveram participação ativa enquanto arte cinematográfica, como o canoense nato e pesquisador Antônio Jesus Pfeil, a atriz canoense, também nata, batizada Diana Rejane Schumann, nascida no dia 30 de junho, mas que artisticamente adotou o nome de Rejane Schumann, e que por longos anos morou na Rua da Fab, em Canoas.


Por longos 22 ou 23 anos, a partir dos anos 80, como jornalista, participei, numa ação pioneira em termos de Canoas e sem jamais ter tido qualquer contribuição ou ajuda-de-custo dos jornais nos quais trabalhei, e cobri dezenas de edições do Festival do Cinema de Gramado, trazendo em primeiríssima mão notícias dos bastidores do festival, época em que as emissoras de televisão e os chamados grandes jornais do Estado não se interessavam em cobrir o evento. E lá estava o cronista e jornalista Xico Júnior, acompanhado ora do fotógrafo number one Nilson Romeu Konrad, ora pelo fotógrafo Nolar Darci Azambuja ou por Gelson Carnelutti, com matérias exclusivas e fotos ídem. E que hoje fazem parte do meu exclusivo Acervo Fonofotohistoriográfico. Por ocasião do 30 anos do Festival do Cinema de Gramado foi publicado um livro-álbum contando a história do maior festival de cinema do Brasil e do qual 20 fotos do meu acervo particular fizeram parte.


Notas  sobre  os  Aparelhos das Empresas Edison:
    
1) Edison comprou os direitos de produção de um aparelho de projeção de filmes de 35 mm de largura inventado por Thomas Armat e Charles Francis Jenkins, patenteando esse aparelho com o nome de  "Vitascope". A  primeira  apresentação pública desse projetor foi em 23/Abr/1896, em Nova York. 2) Depois, instatisfeito com a qualidade  do aparelho - talvez ao compará-lo com  outros  projetores  do mercado  que possuíam  qualidade superior - Edison desenvolveu um novo projetor que chamou de "Projecting Kinetoscope". A  primeira exibição pública desse novo  aparelho foi em 30/Nov/1896 em Harrisburg, estado da Pensilvânia. 3) Edison patenteou o aparelho com esse nome ("Projecting Kinetoscope") porque já havia inventado e patenteado um outro equipamento de assistir filmes  chamado "Kinetoscope".


Notas sobre  o "Chronophotographo": 1) O "Chronophotographo" foi inicialmente um aparelho inventado pelo francês Etienne-Jules Marey em 1887, ficando então conhecido por "Chronophotographo Marey". 2) Este aparelho foi depois aperfeiçoado pelo assistente de Marey, Georges Demény, passando a ser conhecido por "Chronophotographo Demeny". Em 1892, Demeny patenteou o aparelho com o nome de "Phonoscope". Em 1895, Demeny se associou a Leon Gaumont para comercializar o equipamento. Nessa ocasião, o nome do equipamento foi trocado de "Phonoscope" para "Bioscope". 3) Segundo (20), em   Fortaleza, Ceará, em  03/Fev/1998, foram exibidos filmes na cidade através do "Chronophotographo Demeny". 4) O modelo do "Chronophotographo Demeny" mostrado abaixo usava filmes de celuloide de 58-60 mm de largura. A figura e os dados informados acima foram obtidos do site www.victorian-cinema.net


Notas sobre o "Bioscope": 1) No final do século XIX eram comercializados na Europa três tipos de  "Bioscope". a)  O primeiro tipo era o "Bioskop Skladanowsky", inventado pelo alemão Max Skladanowsky em 1895. b) O segundo era o "Bioscope Urban", inventado (ou desenvolvido) em 1897 por Walter Isaacs e Charles Urban, ambos norte-americanos. Esse aparelho foi comercializado por Charles Urban na Inglaterra. c)  E o terceiro é o "Bioscope" comercializado por Demeny/Gaumont já referido em Fevereiro de 18982) A figura abaixo é de um    "Bioscope Urban" que foi comercializado na Inglaterra por volta de 1900. 3) A figura e os dados desses aparelhos foram obtidos do site www.victorian-cinema.net


De 1910 a 1930: Do início do funcionamento dos cine-teatros ao começo do cinema sonoro.


1914 - Em Canoas passa a funcionar o Cinema Porcello, de propriedade de Vicente Cláudio Porcello que ficava localizado nos fundos da sua farmácia localizada no rua Victor Barreto, ao lado da Galeria São Luis. Inicialmente as sessões eram acompanhadas por um bandoneon e depois por um duo constituído de bandoneon e pianola tocados por pai e filha, respectivamente. Por volta de 1920, o cine Porcello possuía cerca de 150 assentos  constituído de cadeiras avulsas. Nessa época as sessões eram apenas aos domingos às 20 horas. Depois passou a ter filmes aos sábados e quarta-feiras. Nota: Antes disso,  Ernesto Wittrock  animava as festas com o seu cinema ambulante. Em 1939 o Cinema Porcello deixa de funcionar.


Em Canoas, são projetados filmes em um sobrado localizado na esquina das (atuais) Av. Santos Ferreira e  Santini Longoni. O responsável pelas projeções era Ernesto Longoni. Esse sobrado foi destruído por um incêndio em 13 de junho de 1920.

CINE TEATRO CENTRAL
De 1930 até 1953: Do começo do cinema sonoro à implantação do sistema de projeção em Cinemascope.


1941 - Em Canoas, o Cinema Central passa ser de propriedade de Leopoldo Castro de Mattos. Esse cinema quando iniciou sua projeções nos anos 20 era de propriedade de Arthur Pereira de Vargas e ficava localizado na atual Av. Guilherme Schell, bem no centro da cidade. 
Nota:  A foto abaixo é dos idos anos 1940 e foi enviada por W. Guimarães Jr.
Cinema Central, então de Arthur Pereira Vargas, na década de 20. Depois é Leopoldo Castro de Mattos que passa a comandar a casa de projeções.
1948 - Em Canoas, um grupo de pessoas decide fundar o Clube de Cinema de Canoas,cujas reuniões perduraram até 1954. O local dos encontros, por algum tempo, foi nas dependências do Cinema Central, de Leopoldo de Castro de Mattos.

CINE TEATRO SÃO LUIZ
De 1953 até nossos dias: 
Da implantação do sistema de projeção em Cinemascope até o presente momento.
Cine Teatro São Luiz inaugurado no dia 30 de setembro de 1958.

Casal Francisco e Itália Busato, sócios-proprietários do extinto Cine Teatro São Luíz, localizado na BR-116, entre o centro de Canoas e o Bairro Niterói.
1950 - O Cine Teatro São Luiz, nome que dava um certo ar de pomposidade à casa de espetáculo para a época, fui fundado no dia 30 de setembro de 1950, na Av. Getúlio Vargas (BR-116), pelas famílias Capoani e Busato, representadas de um lado por Francisco Busato, que casa com Zemira Capoani, e Francisco Busato, casado com d. Itália e pai de cinco filhos: Luiz Jerônymo, Nery, Anita, Jandira e Gemma. 

Entre os filmes mais famosos que foram exibidos no Cine Teatro São Luiz, "Ricardo Coração de Leão", filme de aventura, lançado em 07 de agosto de 1954, cujo título original é "King Richard And The Crusaders", dirigido por David Butter e estrelado por Rex Harrison, Virginia Mayo, George Sanders, Lawrence Harvey e Robert Douglas. O filme baseava-se na vida do monarca inglês que organizou a Terceira Cruzada para resgatar Jerusalém das mãos dos muçulmanos.

No dia 8 de abril de 1967 era fundado o MACA - Movimento Assistencial de Canoas, com a posse da primeira presidente, a Miss Canoas 1966, Ana Beatriz Machado da Silva, cuja posse foi prestigiada por grande número de autoridades e personalidades da sociedade canoense, como o prefeito Hugo Simões Lagranha e o presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Luiz Pereira de Souza. Nesse mesmo ano, em sessão "avant-premier" promovida no Cine Teatro São Luiz, com renda beneficente para o Hospital Nossa Senhora das Graças, era exibido o filme "Arabesque", dirigido por Stanley Donen e estrelado pela beleza e talento da imortal Sophia Loren e Gregory Peck.


1954 - A partir de 04 de julho de 1954 em Canoas, passa a funcionar o Cine Rex, de propriedade das  famílias Busato e Capoani. Ao mesmo tempo o tradicional Cinema Central, de Leopoldo Castro de Mattos, deixa de funcionar.
Depois vieram, ainda pertencente à companha Busato & Capoani, os Cinemas Niterói, no bairro Niterói; o Cine Vitória, na então Vila Triângulo (na rua Itororó, entre a BR-116 e a Rua Victor Barreto) e o Cine Rio Branco, no bairro do mesmo nome.
O Cine Rex era  de propriedade da empresa Capoani, Busato Ltda e foi fundado em 04 de julho de 1958, como informou um dos seus sócios-herdeiros Jandir Capoani. O Cine Rex foi palco de filmes de grandes bilheterias como a trilogia "Sissi",  rodado em 1955; "Sissi, a Imperatriz", produzido em 1956 e "Sissi e Seus Destino" em 1957.
Além desses, o Cine Rex foi palco de exibição de produções cinematográficas gaúchas, que teve enorme público, como "Coração de Luto", filmado em 1967, e estrelado pelo cantor tradicionalista Teixeirinha e sua parceira Méri Terezinha. E mais os famosos e conhecidíssimos filmes de chanchadas estrelados por Oscarito e Grande Otelo, Ankito, Zé Trindade, Mazzaroppi, entre outras produções nacionais como "O Pagador de Promessa", ganhador da Palma de Ouro no Festival de Cinema de Cannes, na França, em 1962, e que teve direção de Anselmo Duarte e estrelado por Leonardo Villar. a gaúcha Glória Menezes e Dionísio Azevedo.
Filmes que formaram a trilogia, quiçá, mais amosa do cinema mundial: Sissi - Sissi, A Imperatriz - Sissi e Seu Destino, estrelado pela bela atriz alemã Romy Schneider.
CINE REX - CANOAS
Cine Rex em registro de 1962, foi palco de exibição de grande filmes, como a trilogia "Sissi", "Sissi, a Imperatriz" e "Sissi e seu Destino", produções de 1955, 1956 e 1957, respectivamente.
Cine Rex nos anos 60. Foto do arquivo pessoal de Jandir Capoani.
Francisco Busato um dos sócios da empresa Capoani, Busato Ltda, que, por determinado tempo, deteve o monopólio dos cinemas na cidade de Canoas, com o Cine Teatro São Luiz, Cine Rex, Cine Niterói, Cine Rio Branco e Cine Vitória. No fundo vê-se Pedro César e Eurídes Arduim.
 Filme Super 8 (*)- Em 1969 o cineasta Antônio Jesus Pfeil, com a participação do hoje médico Cláudio Fernando Martini como câmera, filmou, em Super 8, "O Sonho do Pedreiro", tendo nos papeis principais Luiz Antonio Possebon e a "Cinderela do Calçado da III Fenac", Amaryllis Gondin Renz. E foi o único filme a ser rodado em Canoas. A lamentar que a fita jamais tenha sido exibida em ou ao público de Canoas.


CINE REX

Em 1962, o Cine Rex ainda era opção para curtir um cinema no centro de Canoas. No mesmo prédio funcionava o agitado Bar do Paco, ponto de encontro dos jovens da época.

OBS: Caro Xico Junior, boa noite!

"Verificando o histórico dos cinemas constatei uma incorreção na data de inauguração do Cinema São Luis é de 1950 ou 1951. O Cine Rex é de 4 de julho de 1954. Peço-lhe que faça contato com o Luiz Jerônymo Busato que o mesmo lhe fornecerá os dados de que necessitas.

Um forte abraço, Jandir F. Capoani".

CANOAS - RS

CINE TEATRO CENTRAL - Prop. Empresa Comercial, de Leopoldo Castro de Mattos)
R. Guilherme Schell 1222 - Fund. 1928 - Cine Teatro 500 lugs. Ap. 35 m/m

CINE GARIBALDI - Prop. Cinema Garibaldi Ltda.
R. Garibaldi esquina José do Patrocinio s/n - Fund. 1957 - Cinema - 200 lugs.
Ap. 35 m/m
Func. diário - média anual 347 sessões - 23.149 espectadores

CINE NITERÓI - Prop. Capoani, Busato & Cia. Ltda.
R. Júlio de Castilhos s/n - Fund. 1958 - Cine Teatro - 800 lugs. Ap. 35 m/m
Func. diário - média anual 49 sessões - 9.167 espectadores

CINE REX - Prop. Capoani, Busato & Cia. Ltda.
Av. João Pessoa s/n - Fund. 04/07/1954 - Cine Teatro - 1.200 lugs. Ap. 35 m/m
Func. diário - média anual 429 sessões - 141.706 espectadores

CINE RIO BRANCO - Prop. Capoani, Busato & Cia. Ltda.
R. Dona Carmela Dutra s/n - Niterói - Fund. 1954 - Cine Teatro - 900 lugs. Ap. 35 m/m
Func. diário - média anual 363 sessões - 89.897 espectadores

CINE TEATRO SÃO LUIZ - Prop. Capoani, Busato & Cia. Ltda.
Av. Vitor Barreto s/n - Fund. 1950 - Cine Teatro - 1.100 lugs. Ap. 35 m/m
Func. diário - média anual 427 sessões - 148.233 espectadores

CINE VITÓRIA - Prop. Capoani, Busato & Cia.Ltda.

Av. Itororó s/n - Fund. 1958 - Cine Teatro - 1.000 lugs. Ap. 35 m/m
Func. diário - média anual 282 sessões - 62.872 espectadores

A atriz canoense Rejane Schumann
A canceriana nascida Diana Rejane Schumann, no dia 30 de junhofoi, pelo que se pode apurar, a única canoense a trilhar com relativo sucesso a carreira de atriz. Iniciou como anunciadora de programas na TV Piratini (hoje TVE-RS), em Porto Alegre. Em 1969 estreou como atriz de cinema, participando do filme "Motorista Sem Limite", com Teixeirinha (Victor Matheus Teixeira) e Mery Terezinha, contando ainda, no elenco, com Jimmy Pipiolo, entre outros atores. Cinco anos depois, em 1974, Diana Rejane Schumann, que passou a usar o nome de Rejane Schumann, estrelou outro filme de Teixeirinha, "Pobre João", que tinha no elenco Mery Terezinha, Darci Fagundes, Edith Veiga e Victor Teixeira Filho, entre outros. Dois depois, em 1976, estrelava seu último filme produzido e dirigido por Teixeirinha, "A Quadrilha Perna Dura" que da mesma forma como os demais, contou com a participação de Mery Terezinha.
Nesse meio tempo, em 1972, Rejane Schumann participava da série "Ana Terra", sob a direção de Durval Garcia e a paticipação, no elenco, de Rossana Ghessa, Geraldo D´El Rey. Antônio Augusto Fagundes, Pedro Machado, Vânia Elisabeth, Neide Ribas e Dias Pereira.


A partir de 1976 Rejane Schumann passa a integrar o elenco da Rede Globo, onde participa, em 1976, da novela "O Feijão e o Sonho", que foi ao ar de 28/06/1976 a 09/10/1876, interpretando a personagem Ana Maria, novela que contou com os atores Marco Nanini, Myrian Rios, Nívia Maria, Cláudio Cavalcanti, Dorinha Duval, Lídia Brondi e Paulo Gracindo.  


Em 1978 integra o elenco da novela "Dancin´Days", que dura de 10/07/1978 a 27/01/1979, fazendo o papel de Luciana e que tinha no elenco Antônio Fagundes, Ary Fontoura, Beatriz Segal, Glória Pires, Joana Fomm, Lídia Brondi, Mauro Mendonça, Mário Lago, Pepita Rodrigues, Reginaldo Farias e Sônia Braga.


A última participação de Rejane Schumann em novelas foi em "Vamp", que foi ao ar de 15/07/1991 a 08/02/1992, quando interpretou a personagem Maria Cármen, cuja novela contou com um reconhecido cast de atores e atrizes da primeira grandeza: Reginaldo Farias, Milton Gonçalves, Paulo José, Bia Seidl, Cláudia Ráia, Cláudia Ohana, Fábio Assunção, Ginafrecesco Guarnieri, Giulia Gam, Ney Latorraca, Nuno Leal Maia e Paulo Graciondo.


Formada em jornalismo e direito, trabalhou também como repórter na TV Bandeirantes.
  
Fontes: 
(*) "O Cinematographo no Rio Grande do Sul no Século XIX", de  Antônio Jesus Pfeil (1999).
# Pesquisas e acervo fotohistoriográfico Xico Júnior


*** Para ampliar as fotos basta clicar sobre as mesmas.
*** Contato via e-mail: la-stampa@ig.com.br 
.